• Savio Campos

Os novos desafios da empresa do futuro

Atualizado: 21 de ago. de 2019

O futuro vai pertencer às empresas que consigam explorar o potencial da descentralização nos seus processos e autonomia das pessoas e focar nos resultados para os clientes.

Em um mundo com transformações tão aceleradas as armas convencionais e toda a experiência reunida pelo pessoal de recursos humanos não serão suficientes para resolver a questão. Eis o papel do consultor facilitador.


Trevas ou oportunidades?

O Fórum Econômico Mundial alerta que as inovações tecnológicas irão acabar com 7 milhões de postos de trabalho até 2020 e criar outros 2 milhões – deixando um saldo de 5 milhões de desempregados nas 15 maiores economias do mundo, incluindo o Brasil.

O futuro vai pertencer às empresas que consigam explorar o potencial da descentralização nos seus processos e autonomia das pessoas e focar nos resultados para os clientes. A reengenharia e outras iniciativas destinadas a dar forma aos negócios e às organizações já transformaram o processo de trabalho; agora é necessário transformar as pessoas que trabalham nelas para conseguirem um conjunto capaz de desempenho superior.


Geralmente a responsabilidade pelos assuntos relacionados aos recursos humanos nas empresas tem sido atribuída à área de RH. E é exatamente essa área que precisa enfrentar uma das mais difíceis partes do desafio na modernização das empresas. Parece que as armas convencionais e toda a experiência reunida pelo pessoal de recursos humanos não serão suficientes para resolver a questão. Será necessário romper com o passado, deixar de lado alguns conceitos e experiências tradicionais e criar novidades e soluções criativas para dotar as empresas do futuro dos recursos humanos de que elas irão precisar.


Diante desse quadro, qual a função das pessoas dentro das empresas e como planejar o desenvolvimento de habilidades e da própria carreira em um mundo disruptivo? Como se manter competitivo em mercados que passam por profundas transformações?


O Fórum Econômico Mundial divulgou uma relação com as 10 habilidades essenciais para os profissionais que quiserem se destacar durante a quarta Revolução Industrial. "A maioria das empresas acredita que investir em habilidades, ao invés de aumentar as contratações de curto prazo ou trabalhadores virtuais, é a chave para gerenciar rupturas no mercado de trabalho em longo prazo com sucesso", indica o resumo executivo do estudo.


  1. Resolução de problemas complexos

  2. Pensamento crítico

  3. Criatividade

  4. Liderança e gestão de pessoas

  5. Trabalho em equipe

  6. Inteligência emocional

  7. Julgamento e tomada de decisões

  8. Orientação a serviços

  9. Negociação

  10. Flexibilidade cognitiva


Entre esses novos princípios, temos o da alocação de recursos em tempo real, o da comunicação de qualidade ponto a ponto, o da organização do trabalho em times e projetos, o da avaliação de desempenho por resultados e o da ruptura das fronteiras orgânicas.


Be disruptive, not disrupted

O importante é inovar sempre, com foco em agregar valor para os seus públicos. Eventualmente, a inovação será disruptiva. Dessa forma, inovar é tanto o caminho para sermos disruptivos, quanto para conseguir combater a disrupção de mercado causada por outros.

- Clayton Christensen - professor de Harvard


Ou seja, cabe ao RH e seus parceiros de jornada, como facilitadores de empresas de educação corporativa, como a AWAREGROUP, redesenhar os processos de gestão de recursos humanos, desde os treinamentos até os esquemas de reconhecimento dos esforços; criar uma nova cultura de colaboração e resolução de desafios; fazer com que o aprendizado seja parte do dia-a-dia dos negócios da empresa e que dele sejam colhidos novos valorosos frutos para a organização. É necessário moldar uma nova cultura que dê suporte à nova maneira de trabalhar.

Transformar a força de trabalho passou a ser o maior desafio estratégico enfrentado pelas empresas que esperam ter sucesso no próximo século. E, como a transformação das pessoas dá-se através da educação, o desafio é principalmente de educação e reeducação de todos os níveis e grupos dentro das empresas.

No entanto, trabalhar eficazmente em grupos não é intuitivo. Para terem sucesso em suas novas tarefas, os empregados precisarão de novos conhecimentos, novas habilidades e novos comportamentos, desde a compreensão de processos inteiros até a solução de problemas e a demonstração de iniciativa. Precisarão, também, aprender a trabalhar em grupos da maneira mais eficaz possível. Por outro lado, os novos empregados não aceitam nem precisam das formas tradicionais de supervisão e gerência. Em vez disso, eles precisam de coaching e orientação, que, infelizmente, a maioria dos gerentes tradicionais não está preparada para prover. Assim, além de novos trabalhadores, deveremos preparar novos gerentes e administradores para desafios que eles ainda estão começando a enfrentar.


É necessário INOVAR sempre. O futuro é cada vez mais "o agora" então talvez seja o momento de criar novas possibilidades, desenhar novas fronteiras, com foco em agregar valor para os seus clientes, mesmo sabendo que, eventualmente, a inovação será disruptiva. Dessa forma, inovar é tanto o caminho para sermos disruptivos, quanto para conseguir combater a disrupção de mercado causada por outros.


E então, você e sua empresa estão preparados para os novos desafios do futuro?


Palavras-chave: recursos humanos, desafios, modernização, futuro, organizações, mundo disruptivo, educação corporativa, facilitadores de aprendizagem, coaching

391 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo